Arquivo do mês: abril 2011

Desenvolvimento da mídia na contemporaneidade

Google Imagens

O desenvolvimento da mídia se acelera a cada dia, e com a modernização está atingindo cada vez mais um publico abrangente, passando por várias classes sociais, interligando locais de difícil acesso as grandes cidades. Atualmente é cada vez mais comum as residências com mais de um aparelho de televisão, todas moderníssimas, com telas em LCD, ou projeções mais atuais. A maioria das famílias dispõem em suas casas de televisão, aparelhos de som, telefones, computadores, aparelhos celulares, internet. O mundo se comunica e as pessoas sentem necessidade de se inserir neste mundo da informação e da conectividade. A mídia possui um poder muito grande, ela diz qual a melhor escola para estudar, qual o melhor carro para comprar, a roupa que a pessoa precisa usar para estar nas tendências da moda. A mídia tem condições de construir anjos e demônios, fazer pessoas serem amadas ou odiadas, e tudo isso com um click, basta ligar a televisão. Tratam-se de meios com uma impressionante capacidade de exceder as finalidades particulares para as quais foram concebidas. Com os meios de comunicação de massa criaram-se novas formas de socialização e intensificou-se o seu papel estruturador do cotidiano e de geração de efeitos sobre os indivíduos. Acredito que repercussão social da mídia poderia contribuir positivamente para o crescimento da sociedade, do homem como ser humano, no entanto, o que vejo é uma repercussão social que atinge diretamente o sujeito de modo que interfere na maneira como ele conduz a sua vida e se socializa com as demais pessoas. Deste modo, a importância que é dada a mídia pode superar os seus valores e suas virtudes morais.  Atualmente está sendo veiculada na televisão, no horário nobre, propaganda de operadora de telefonia celular aonde o contexto é agressivo a situação do idoso. Um jovem aparentando vinte anos, em conversa com a tia, uma senhora idosa, com dificuldades de audição, não consegue compreender a linguagem moderna do jovem e é ridicularizada por isso. A idéia central da propaganda é mudança de operadora, ou seja, a mudança para o novo, desqualificando a outra operadora por ser velha. A senhora da propaganda, foi incapaz de entender isso. Além da eventual má-fé e deliberado uso perverso, há uma destrutiva espontaneidade na forma com que os meios de comunicação de massa são operados. Passamos anos assistindo propagandas de cigarros representados por homens aventureiros e saudáveis que acendiam e tragavam os seus cigarros como se o fumo trouxesse algum tipo de beneficio, charme, milhares de pessoas foram seduzidas por essa idéia. As campanhas que são feitas hoje tentam desmistificar o que foi induzido e impedir que mais pessoas se interessem pela droga que custa milhões aos cofres públicos. A mídia é bastante abrangente e como destaquei seus efeitos podem ser positivos, mas também podem ser nocivos. Infelizmente há uma manipulação do sujeito, e confusão em relação a própria identidade que atinge crianças, jovens, adultos e idosos. Estimular a interpretação daquilo que se recebe por meio da TV, do rádio, da internet, etc. definitivamente se faz relevante enquanto parte do processo de comunicação, mas requer um complemento que desperte junto ao sujeito, a importância de também se produzir mídia conscientemente. Eis o desafio que nos aguarda.

Vládia Almeida

 

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Social, Textos

O Efeito Bullying

Google Imagens

Na última década, o Bullying é um fenômeno que preocupa as autoridades, sobretudo as escolares. Bullying cujo termo em inglês é para descrever atos de violência física ou psicológica, repetidos, intencionais, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos. Se fizermos uma breve reflexão, observaremos que o Bullying sempre esteve presente em nossas vidas, seja como um ato de nossa autoria ou em um momento onde fomos vítimas. A verdade é que a prevenção do Bullying deve começar em casa, junto com a educação que recebemos de nossos pais e familiares. Uma ‘brincadeira’ sem graça, onde apenas uma das partes se diverte, não deve ser vista como brincadeira, como se tratasse apenas de diversão. As enormes conseqüências dessa atitude podem acompanhar um sujeito por toda a sua vida, sobretudo se ele não tiver capacidade de lidar com a situação, superar os obstáculos, resistir à pressão. O interessante é que o Bullying sempre é mais uma ‘brincadeira’ para quem o pratica, mas nunca para quem o recebe. Uma forma de violência que deve ser controlada, fazendo um trabalho de conscientização nas escolas, de modo que os agressores não sejam condenados ao isolamento.  Para que a resposta as atitudes de Bullying também não sejam atos de Bullying, a escola deve cuidar também dos agressores de modo a tentar compreender o motivo de tal comportamento e elaborar um projeto que facilite a convivência entre todos e o respeito às diferenças. Afinal, o Bullying é o resultado da intolerância as diferenças.

1 comentário

Arquivado em Meus Posts